O meu presépio e um poema

NATAL DE QUEM?

Mulheres atarefadas
Tratam do bacalhau,
Do peru, das rabanadas.

– Não esqueças o colorau,
O azeite e o bolo-rei!

– Está bem, eu sei!

– E as garrafas de vinho?

– Já vão a caminho!

– Oh mãe, estou pr'a ver
Que prendas vou ter.
Que prendas terei?

– Não sei, não sei...

Num qualquer lado,
Esquecido, abandonado,
O Deus-Menino
Murmura baixinho:

– Então e Eu,
Toda a gente Me esqueceu?

Senta-se a família
À volta da mesa.
Não há sinal da cruz,
Nem oração ou reza.
Tilintam copos e talheres.
Crianças, homens e mulheres
Em eufórico ambiente.
Lá fora tão frio,
Cá dentro tão quente!

Algures esquecido,
Ouve-se Jesus dorido:
– Então e Eu,
Toda a gente Me esqueceu?

Rasgam-se embrulhos,
Admiram-se as prendas,
Aumentam os barulhos
Com mais oferendas.
Amontoam-se sacos e papeis
Sem regras nem leis.

E Cristo Menino
A fazer beicinho:
– Então e Eu,
Toda a gente Me esqueceu?

O sono está a chegar.
Tantos restos por mesa e chão!
Cada um vai transportar
Bem-estar no coração.
A noite vai terminar
E o Menino, quase a chorar:

- Então e Eu,
Toda a gente Me esqueceu?
Foi a festa do Meu Natal
E, do princípio ao fim,
Quem se lembrou de Mim?
Não tive tecto nem afecto!

Em tudo, tudo, eu medito
E pergunto no fechar da luz:

- Foi este o Natal de Jesus?!!!


Poema de João Coelho dos Santos, in “Lágrima do Mar” - 1996
Recebi esta prendinha por e-mail. Não posso deixar de o partilhar convosco.
Obrigada Ana Filipa.

3 comentários:

Tina disse...

Lindos!!!!!
Beijinhos.

Anónimo disse...

Mas que bem!!!!! gostei.
Também pus nas mnsg. do seu hi5 uma coisa gira, vá ver.

E...não acredito que não vão haver as tais rabanadas da D Susete, vai ver que vai ser a surpresa da noite!até porque quero uma guardada para mim!...sim no congelador...

AH AH AH beijo para ela também

Guidinha Pinto disse...

Tina, obrigada.
Anónima, fatias houve, mas das compradas :)
Boas Festas Amigas.