Da última vez que entrei para o visitar, invadida por uma grande emoção, fiz questão de guardar esta imagem, agarrada que me pus ao leme do Navio Escola Sagres. Foi em 1999.
*A Pátria honrae que a Pátria vos contempla* é uma frase que conheço há muitos anos. Sou do Século passado, é natural sabermos estas coisas. É da autoria de José da Silva Mendes Leal, que em 1863 assim legislou quando era na na altura Ministro da Marinha e Ultramar (1820-1886) e está espalhada por alguns locais onde a colonização portuguesa se fez presente. Como, por exemplo nas Portas do Cerco, o lugar que marcava a fronteira entre o antigo território português de Macau e a China
Tem este post a minha vontade de lembrar aos portugueses, mesmo nesta época de azáfama, de crise monetária, de fome e de fartura, de ladrões e gente honrada, de coisas boas e coisas más, que quase passou 1 ano e ele está a chegar. Se o tempo ajudar, desejo esperar este Navio no Terreiro do Paço, com um lenço branco na mão, a acenar boas vindas.
Tem também o fito de avivar a lembrança - a quem aprecia e sonha com grandes viagens mas apenas viaja nas viagens de outros - a quem já esqueceu que Sagres deu a volta ao Mundo e já veleja por águas Mediterrânicas.
A notícia é:
- «Após quase um ano de viagem à volta do Mundo, o Navio-Escola SAGRES, comandado pelo Cap. Frag. Luís Proença Mendes, entrará a barra do Tejo na manhã da próxima quinta-feira, dia 23 de Dezembro. Tanto quanto julgamos saber, muitos velejadores e desportistas náuticos preparam já as suas embarcações, para irem saudar aquele que é um dos mais emblemáticos navios da Armada, no seu trânsito no Rio Tejo para a Base Naval, estimando-se que passe em frente a Belém cerca das 09h00. O Navio partiu em 19 de Janeiro, como tivemos oportunidade de noticiar na RM 954, percorreu cerca de 40.000 milhas em 5.500 horas de navegação e visitou mais de trinta portos estrangeiros, tendo sido visitado por cerca de 300.000 pessoas! A SAGRES é um veleiro com cerca de 90 metros de comprimento, 12 de boca e 6,2 de calado, deslocando 1940 tons, com quatro mastros, 23 velas, uma superfície vélica de 1.950 m2 e armação em barca, dispondo também de um motor auxiliar (1000 CV - 9 nós). Foi construído em 1937, na Alemanha, nos estaleiros da firma Blohm & Voss, em Hamburgo, juntamente com mais três navios semelhantes, o EAGLE, da Guarda-Costeira dos EUA, o MIRCEA, da Roménia, e o TOVARICH, da Rússia, a que se juntou, quase vinte anos depois, o GORCH FOCH, Navio-Escola da Marinha Alemã. A primeira viagem de circum-navegação da SAGRES teve lugar em 1978/79 e a segunda em1983/84, ocorrendo esta terceira edição cerca de vinte e sete anos depois.»
A toda a tripulação da Sagres e ao seu Comandante, desejo boa aportagem.

2 comentários:

Joalex disse...

Creio que ninguém consegue ficar indiferente a este belo navio, símbolo de um país com uma história intimamente ligada ao mar.
Pela minha parte tenho imensa pena de não poder estar, amanhã, presente em Lisboa para assistir à sua chegada, após esta longa viagem...
José Alexandre

Guidinha Pinto disse...

Olá José Alexandre. Nem eu pude, mesmo estando em Lisbao, com muita pena minha.
Abraço.