Afinal ... estava enganada

Nem toda a informação que me entra na caixa de correio, vulgo e-mail, levo em consideração. Há assuntos que nem repasso para outros amigos. De vez em quando, publico aqui, porque me informei e estava correcta a informação. No entanto, parece que meti o pé na argola, quando fiz link do título Movimento Pijaminha, no passado 14 de Outubro. Não acredito que fosse pela minha notícia, que ninguém me lê, a saída de um Comunicado de Imprensa na página do IPO, a desmentir e a informar o pessoal que por aí anda a inventar coisas como estas! Pelo facto de eu imaginar a confusão que deve ter provocado no IPO, o aparecimento de pessoas/entidades que pretendam obter proveitos ilegítimos a quererem ajudar... com pijaminhas??? leva-me a escrever este texto.
Aqui fica o meu pedido de desculpas ao IPO por ter feitas minhas as palavras de outros, sem confirmar a fonte.

Publico o conteúdo da página, http://www.ipolisboa.min-saude.pt/Default.aspx?Tag=CONTENT&ContentId=1484 para facilitar a leitura.

COMUNICADO DE IMPRENSA “Movimento Pijaminha”
O Instituto Português de Oncologia de Lisboa, Francisco Gentil, E.P.E., tomou conhecimento que, mais uma vez, se encontra a ser efectuada uma acção de recolha de pijamas para os seus doentes da Pediatria, no que se apelida de “Movimento Pijaminha”.Perante este facto, esclarece-se que não foi realizada nenhuma solicitação pelo IPO de Lisboa e que a mesma representa um uso abusivo do seu nome. Com o objectivo de prevenir o eventual aproveitamento da situação por entidades que pretendam obter proveitos ilegítimos, solicita-se que se tenha em conta o presente esclarecimento. Aconselhamos que no futuro, por uma questão de precaução, seja confirmado sempre junto da Instituição quaisquer campanhas realizadas em nome do IPO”. Para mais informações por favor contactar: secretaria.geral@ipolisboa.min-saude.pt e *Telf. 217229814 Fax. 21 7229840

1 comentário:

Guida disse...

Guidinha
Ás vezes até é bom aparecerem (saírem da sombra)assim ao público estes movimentos, para que os visados se possam defender.
Guida